sexta-feira, 2 de junho de 2017

Homofobia no drama "Lembre-se da mulher de Ló"


(Traduzido de JW Survey) A religião das Testemunhas de Jeová é conhecida por aberta desaprovação à comunidade LGBT. Em nível doutrinário, ensina que qualquer homossexual praticante é pecaminoso e merece morrer, e que em breve Deus matará quaisquer dessas pessoas na tão próxima batalha do Armagedom.

Em um nível cotidiano, ao passo que não faz pressão por ação dos governos ou que criem leis contra a comunidade LGBT, em razão de uma rígida doutrina de desconexão total da política, ela diretamente persegue seus próprios membros que são LGBTs, exigindo-lhes que permaneçam celibatários pela vida inteira. Se algum deles se recusar a fazê-lo, a religião exige que eles sejam completamente evitados por todos os seus familiares TJ e amigos, com a ameaça adicional de evitar qualquer familiar ou amigo que se recuse a cumprir tal determinação.

Assim, um TJ nascido na religião e batizado como uma criança, coisa que é cada vez mais frequente, e que cresce até descobrir que é gay, será confrontado com uma escolha: negar a sua sexualidade para sempre ou perder a companhia de todos os seus conhecidos.


Nos últimos anos, a Torre de Vigia, a organização que controla a religião das Testemunhas, lançou um grande número de vídeos que fazem fortes declarações anti-LGBT, e este ano não é exceção. No entanto, parece que a retórica sobre este tema está gradualmente subindo para um grau preocupante, com instruções passadas às Testemunhas de que devem adotar diretamente uma atitude de confronto ao encontrarem gays, lésbicas e outros que não se alinham estreitamente com a visão aprovada pela Torre de Vigia sobre identidades sexuais. 

Um desses exemplos da escalada na retórica é o novo drama produzido pela Torre de Vigia: “Lembre-se da mulher de Ló”.

Lembre-se da mulher de Ló

A página oficial das Testemunhas de Jeová, JW.ORG, acaba de lançar uma série de vídeos que serão exibidos na próxima série de congressos mundiais de 2017. Um dos vídeos é um drama de três partes intitulado: "Lembre-se da mulher de Ló". O vídeo inteiro, de uma hora e meia, pode ser visto aqui.

Com o objetivo de ser uma representação moderna do conto bíblico de Ló em relação com os últimos dias de Sodoma e Gomorra, a Torre de Vigia declara em seu site:

A advertência que Jesus deu há quase 2.000 anos é mais importante do que nunca. Veja como Brian e Gloria aprendem a proteger sua família dos perigos que Jesus advertiu.

Um desses perigos é, naturalmente, a comunidade LGBT insidiosa e pecaminosa.


Assista a cena que estamos examinando:




Há duas cenas que abordam a mensagem da Torre de Vigia sobre a homossexualidade, mas uma delas me chamou a atenção por ser mais incisiva do que o habitual. Não foi apenas por causa da natureza da própria doutrina; por este ponto, estou bem familiarizado com a mensagem anti-LGBT promovida pela Torre de Vigia e, infelizmente, já não me choca muito, como a alguém que encontra isso no site JW.ORG pela primeira vez. Em vez disso, foram os maus modos demonstrados pelos personagens Testemunhas que me fizeram cair o queixo.

Vamos definir a cena.

Brian e Gloria são dois pais Testemunhas, cuja filha convidou alguns de seus colegas de trabalho para uma refeição. Uma dessas colegas de trabalho é uma garota chamada Tess. Durante a conversa à hora das refeições, informa-se que Tess é considerada uma das melhores estagiárias da empresa. Gloria, a esposa TJ, diz a Tess que seus pais devem estar muito orgulhosos, e Tess responde:

"Minhas mamães estão orgulhosas de mim. Fui criada por duas mulheres maravilhosas."

E assim começa um dos exemplos mais terríveis, deselegantes e grosseiros de propaganda homofóbica da história recente das Testemunhas.

O jantar do inferno

O que acontece quando Tess solta essa "bomba"?

Lembre-se: os personagens Testemunhas foram ensinados que a homossexualidade é um pecado grave, digno de morte nas mãos de Jeová Deus, quando ele trouxer um Armagedom mundial, que as Testemunhas acreditam que será em breve. Exige-se que qualquer Testemunha batizada que esteja em um romance com alguém do mesmo sexo seja evitada completamente por toda sua família e amigos TJs.

Não se enganem: aos olhos dos personagens Testemunhas nesta cena, os pais de Tess estão fazendo algo revoltante e merecem morrer, a menos que se separem, tornem-se Testemunhas e casem com homens ou permaneçam celibatárias.

No entanto, dado o fato de que Tess não é uma Testemunha e está simplesmente respondendo a uma pergunta passageira, parece que a coisa certa a fazer seria simplesmente seguir em frente e continuar a conversa sobre o estágio. No entanto, em vez disso, os personagens Testemunhas agem como se ela lhes estivesse esbofeteado a cara e cuspido na mesa. Suas mandíbulas caem, gaguejam, e o pai Brian dá a Tess um severo olhar de raiva e desgosto.


Em seguida, em uma exibição do que eu só posso descrever como incompetência social da pior espécie, a personagem Gloria projeta uma expressão preocupada e responde, em tom horrorizado, que ela acaba de descobrir que seu assistente no trabalho é gay.

O tom de voz e a expressão de Gloria fazem soar como se ela estivesse dizendo a todos que seu assistente era um estuprador, ou que contraiu uma raiva altamente contagiosa com os mutantes espaciais, ou que começou seu próprio fã-clube Adolf Hitler.

Agora, exatamente por que ela diria isso para uma pessoa que acaba de mencionar, casualmente, que tem pais do mesmo sexo, e nesse tom de voz, eu não tenho ideia. Ela é atroz e deliberadamente rude, ou não tem absolutamente nenhuma compreensão de interação social apropriada, ou talvez sofra de alguma mistura profana e catastrófica dos dois.

Muito corretamente, Tess exige saber o que há de errado com um casal do mesmo sexo, já que seus pais são claramente insultados. Incrivelmente, o vídeo apresenta Tess como sendo a deselegante, rude, por ousar falar sobre seus pais e defendê-los na frente da família TJ. Aparentemente, quando perguntada sobre seus pais, ela deveria ter negado a existência de suas mães amorosas, ou mentido sobre seus gêneros de modo a evitar ferir a sensibilidade das Testemunhas de Jeová.

A cena continua, com outro convidado tomando partido a favor das relações entre pessoas do mesmo sexo. Uma vez que este é um vídeo da Torre de Vigia, o discurso de oposição não vai entrar em muitos detalhes, uma vez que a Torre de Vigia nunca foi de dar uma audiência justa ao lado oposto numa argumentação. No entanto, mesmo com os padrões da cena em si, na verdade são as pessoas imorais e perversas do "mundo de Satanás" que acabam encontrando-se como as razoáveis, ao passo que os justos TJs – os "heróis" – acabam parecendo que possuem todo o tato e a graça social de um bando de hienas flatulentas e bêbadas.


Por exemplo: em um ponto Gloria parece admitir que talvez gays e lésbicas nasçam dessa forma, mas Brian rapidamente intervém e esmaga essa ideia. Ele dá uma palestra afirmando que todos têm livre-arbítrio e conduz seu discurso de vendas de acordo com a interpretação bíblica da Torre de Vigia, que condena o relacionamento amoroso dos pais da mulher como prejudicial. Incrivelmente, ele também afirma que as Testemunhas de Jeová ‘não empurram sua religião goela abaixo de ninguém’, apesar de ele e Gloria ter acabado de se servir de uma menção passageira a casais do mesmo sexo para desenvolverem uma palestra longa e constrangedora para chicotear e castigar a criança desses pais!

E se os papéis fossem invertidos?

Vamos mudar isso.

Digamos que Tess tem pais Testemunhas de Jeová, e que Brian e Glória não são Testemunhas.

Durante a refeição, casualmente é dito que os pais de Tess são Testemunhas de Jeová. Brian e Gloria reagem em choque, mudam o rosto de desgosto, e então Gloria responde, em tom horrorizado, que ela descobriu recentemente que seu assistente é uma Testemunha. Quando os outros convidados indicam que Brian e Gloria estão sendo rudes, o casal não pede desculpas, mas reforçam as ofensas, dizendo a Tess como seus pais são pecadores e fazem um sermão condescendente para tentar empurrar suas próprias crenças.

Você pode imaginar o quão rude seria?

Se você é uma Testemunha de Jeová lendo isso, eu tenho certeza que você entende quão magoado e chateado esse filho de pais Testemunha se sentiria. Certamente agora você pode entender quão magoado e chateado um filho de um casal do mesmo sexo se sentiria se tratado da mesma maneira? Mesmo que você concorde completamente com os ensinamentos da Torre de Vigia sobre a homossexualidade, você certamente deve admitir que a maneira como os personagens Testemunhas agiram nesta cena é incrivelmente desagradável e rude.

Contudo, esta é claramente a maneira que o Corpo Governante quer que você trate qualquer pessoa que casualmente mencione sua sexualidade ou a de seus pais amorosos.

Como você se sente sobre isso?

Por que o Corpo Governante cria estes vídeos?

Se você não é uma das Testemunhas de Jeová, você pode considerar este vídeo apenas como uma história estranha, mal atuada, mal escrita, socialmente atrasado, mas eu quero que você entenda o seguinte ponto:

Estes vídeos não são simplesmente destinados a entreter as Testemunhas de Jeová. Esses vídeos destinam-se diretamente a treinar todas as Testemunhas em todo o mundo.

Este vídeo destina-se diretamente a demonstrar às Testemunhas como lidar com uma situação em que uma pessoa casualmente menciona que tem dois pais ou duas mães. Agora espera-se das Testemunhas em todo o mundo que importunem, assediem, deem uma palestra. Simplesmente deixar o comentário passar em branco não estar na lista das opções apresentadas aqui, e cada Testemunha que assistir o vídeo vai entender isso.

Se você acha que estamos exagerando, em 2016 o Corpo Governante produziu uma animação para crianças em que incentivava explicitamente crianças Testemunhas a dar aulas para filhos de casais do mesmo sexo sobre a natureza pecaminosa de seus pais e a necessidade de se tornarem Testemunhas de Jeová, a fim de evitar a morte e ganhar o paraíso.  

Com razão, o vídeo atraiu condenação mundial, não apenas devido à natureza homofóbica da mensagem, mas também devido à maneira incrivelmente crassa que encorajou as crianças Testemunhas a perseguirem seus colegas de classe e outras não Testemunhas de uma maneira tão rude e desagradável. Infelizmente parece que nada mudou no Corpo Governante, pois este vídeo segue a mesma linha.

Agora, tem que ser dito que muitas Testemunhas de Jeová provavelmente serão muito educadas para realmente tomar a peito o conselho dado aqui, e outros podem ser relutantes em segui-lo por puro senso de autopreservação social; no entanto, o vídeo ilustra como a liderança da Torre de Vigia vê a comunidade LGBT e como ela espera que seus seguidores se comportem com eles.

Francamente, colocando de lado todas as questões de teologia e os direitos humanos da comunidade LGBT, parece que as equipes de liderança e de roteiristas do Corpo Governante precisam desesperadamente de uma forte lição de boas maneiras.

Para um exame mais detalhado da homofobia presente em “Lembre-se da mulher de Ló", confira os seguintes vídeos e artigos de Lloyd Evans, o fundador do JW Survey.



Você também pode assistir a uma palestra mais detalhada dos aspectos mais amplos, como manipulação pelos cultos e doutrinação abusiva em “Lembre-se da Mulher de Ló”, como parte deste vídeo de Lloyd Evans. O link irá levá-lo para a parte do vídeo onde o drama édiscutido.

(Esta postagem foi traduzida com a ajuda do Google Tradutor)


Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas de Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui




Um comentário: