Indianápolis (EUA): 5,5 milhões de dólares arrecadados de congregações locais para a construção de um Salão de Assembleia serão desviados para a obra mundial de construção de salões do reino; algumas Testemunhas sentiram-se lesadas <=> União Europeia proíbe Testemunhas de fazerem a sistemática coleta de dados com o uso do formulário conhecido como "Registro de casa em casa"<=> Parlamento português recusa-se por unanimidade deliberar sobre petição popular que pedia o banimento das Testemunhas de Jeová <=> Anunciado, no betel americano, neste 24 de janeiro, o nome de Kenneth Cook como novo membro do Corpo Governante <=> Chega ao fim o caso Jose Lopes, na Califórnia; a Torre de Vigia fez acordo financeiro com a vítima e a acusação foi retirada <=> Acesse http://www.ajwrb-brazil.net/ e saiba tudo sobre a política do sangue

sexta-feira, 30 de junho de 2017

As Testemunhas de Jeová são honestas e moralmente melhores do que os incrédulos?

Despertai! de 8 de agosto de 1993, p. 2
(Traduzido de JW Survey) Quando meu marido e eu paramos de participar de reuniões, nos juntamos a uma liga de softbol. Isso nos ofereceu a oportunidade de conhecer pessoas e substituir os amigos que perdemos. A primeira coisa que notamos foi o quanto eram pessoas do nem, honestas e voltadas para a família. Não tinha medo de deixar meus pertences sem vigilância. Na verdade, muitos deixavam seus telefones e carteiras no banquinho da quadra. Naquele momento, percebi que os incrédulos eram pessoas decentes.

Isso foi um choque para mim porque fui ensinada, desde a infância, a temer aqueles que estão fora da organização. Se eu me mantivesse dentro dos quatro muros da organização de Jeová, ficaria protegida contra danos. O medo era uma maneira de me impedir de sair.

A ideia apresentada, seja da tribuna ou em forma impressa, sugere que as Testemunhas de Jeová, por si só, são pessoas de alto padrão moral, confiáveis e honestas. E se você se associar com descrentes, pode ser prejudicado.



Um desses artigos consta numa Sentinela de 2009, que trata de preferências pessoais.

Na escolha de amizades
Será que ter amizade com os que não compartilham nossa fé é mera questão pessoal ou estão envolvidos princípios bíblicos? Certa irmã desejava ir a uma festa com um rapaz que não era cristão verdadeiro. Embora alertada dos perigos, ela achava que tinha o direito de ir à festa, e foi mesmo. Pouco depois de chegar, foi-lhe dada uma bebida misturada com um forte sedativo. Ela acordou várias horas depois e descobriu que havia sido violentada pelo seu pretenso amigo (A Sentinela de 15 de fevereiro de 2009, página 20).

São frequentes as generalizações e acusações contra quem não é Testemunha. Observe como a seguinte A Sentinela descreve corrupção (negrito acrescentado):

O mundo está cheio de ganância e egoísmo. Nesse tipo de ambiente, alguns acham difícil ser diferente. Levados pela ambição egoísta, ficam sedentos de poder. Também desenvolvem um forte desejo por mais dinheiro e bens — na verdade, mais do que precisam. Infelizmente, não se importam de agir de forma desonesta para alcançar esses objetivos. Não resistem às influências prejudiciais e acabam ‘acompanhando a multidão para maus objetivos’. — Êxodo 23:2 (A Sentinela de 1º de outubro de 2012, página 5). 

O livro Mantenha-se no Amor de Deus faz parecer que a desonestidade é comum na sociedade de moderna.

Visto que Satanás é o governante deste mundo, não ficamos surpresos de ver que há desonestidade em toda a parte. Diariamente talvez passemos por situações que podem testar nossa honestidade. Quando as pessoas fazem um currículo para se candidatar a um emprego, costumam mentir e exagerar, mencionando falsas qualificações e experiência profissional que não têm. Ao preencher formulários de imigração, declarar impostos, fazer seguros e assim por diante, é comum as pessoas fornecerem dados falsos para conseguir o que querem. Muitos alunos colam nas provas ou, quando têm de fazer uma redação ou outro trabalho escolar, acessam a internet, copiam o que encontram e apresentam o trabalho de outra pessoa como se fosse o seu. E quando as pessoas lidam com funcionários corruptos, é comum oferecerem suborno para conseguir o que querem. É de esperar que essas coisas aconteçam num mundo em que muitos ‘só amam a si mesmos, amam o dinheiro e não têm amor ao que é bom’. — 2 Timóteo 3:1-5 (Mantenha-se no Amor de Deus, página 169). 

Os cristãos verdadeiros estão decididos a não se envolver em nenhuma dessas práticas [negrito acrescentado]. No mundo de hoje, os que são desonestos parecem conseguir certas vantagens e ser bem-sucedidos. Às vezes, isso torna a honestidade um desafio. (Salmo 73:1-8) Ao mesmo tempo, os cristãos talvez tenham problemas financeiros porque desejam ser honestos “em todas as coisas”. Será que os sacrifícios envolvidos valem a pena? Certamente que sim! Mas por quê? Que benefícios podemos ter por sermos honestos? (Mantenha-se no Amor de Deus, página 169, 170).
O mundo controlado pelo Diabo, segundo foto do site JW.ORG



Despertai de 22 de abril de 1993, p. 29
Os crentes e incrédulos são contrastados em toda a literatura das Testemunhas de Jeová; os incrédulos são acusados de serem gananciosos, egoístas e desonestos. Então, quando uma Testemunha "faz a coisa certa" e devolve algo de valor que foi encontrado, a história é usada para exaltar a imagem (relações públicas) da religião.

Um desses casos envolve uma mulher de New Hampshire. No início de 2015, Janelle Jones recebeu um pacote de dinheiro (US $ 2.631) quando saiu do drive-through de um restaurante de fast food.

Logo em seguida, dentro de uma hora, ela devolveu o dinheiro. Então, ela e seu marido, ambos Testemunhas de Jeová, explicaram que fizeram isso porque "Jeová vê tudo” [negrito acrescentado ]"

Esta história foi noticiada por vários meios de comunicação e compartilhada por muitas Testemunhas de Jeová. Experiências como esta confirma para os membros atuais de que se lhes ensinaram a verdade, isto é, que as Testemunhas de Jeová são "as pessoas mais honestas da Terra".

A Torre de Vigiar passa a ideia de que a maior parte do mundo, a sociedade humana que existe fora da verdadeira congregação Cristã, não agiria da mesma maneira.

 “Achado não é roubado”
Como você se sente quando acha algo de valor? Para muitos, isso desperta um senso imediato de posse, que os leva a deixar de lado qualquer ideia de devolver o que encontraram. Eles têm um lema: “Achado não é roubado. ” Alguns dizem que não há nada de errado nisso. Raciocinam que o dono com certeza já não espera ver de novo o que perdeu. Outros acham que não é de sua responsabilidade procurar o dono — algo que envolveria muito esforço [...]. Quantas pessoas você conhece que sinceramente se esforçam em ser honestas o tempo todo? Imagine ter a companhia de 50, 100, ou 200 pessoas que fazem isso. Esse é o tipo de convivência que as Testemunhas de Jeová têm a felicidade de usufruir em seus Salões do Reino (A Sentinela de 1º de março de 2010, páginas 13, 14).

No entanto, existem muitos exemplos de incrédulos que devolvem dinheiro ou pertences encontrados.

Eles não são motivados pelo medo de julgamento, desapontamento ou culpa de sanções. Em vez disso, a bússola moral da maioria das pessoas é inerentemente boa.

Misha Anouk, em seu artigo intitulado "Após o Dinheiro do Rei do Hamburguer ser Encontrado: 7 Pessoas que Devolveram bolsas de dinheiro sem serem Testemunhas de Jeová", afirma: "a honestidade simplesmente não é exclusiva das Testemunhas de Jeová" (Taze.co, 2015). Ele ilustra esse ponto com sete exemplos.

Isso me leva a duas experiências pessoais que demonstram o oposto do que é ensinado pelo Corpo Governante.

Em uma tarde de sábado, eu e cinco outras TJs fomo em busca de pessoas a quem pregar. Em um centro comercial, perto da frente de uma grande loja, a motorista Testemunha estacionou e caminhou até a parada de ônibus. Ao voltar para seu veículo, ela olhou para baixo e encontrou um anel de diamante. Como nenhum outro carro ou pessoa estava perto, ela seguramente pegou o anel. Ela ficou emocionada com o achado. Naquela mesma manhã, ela havia orado a Jeová por ajuda, uma vez que ela e seu marido estavam tendo dificuldade em pagar as contas. Minha amiga sinceramente concluiu que não era errado vender o anel. Dessa forma, ela poderia continuar passando seus dias no ministério.

Ela não está sozinha; muitas Testemunhas de Jeová estão ansiosamente aguardado o fim. Elas dão mais importância às questões espirituais do que ganhar a vida. Constantemente é-lhes dito para colocar o Reino em primeiro lugar e orar a Jeová por comida, roupa e abrigo.






Agora, eu sabia que ficar com o anel estava errado. Parecia ser valioso; certamente alguém iria procurá-lo. Pedi para ver, entrei na loja e dei ao gerente, que o trancou no cofre.

No começo, essa irmã ficou chateada comigo. Ela disse: "Como sabemos que alguém daquela loja perdeu? Aposto que o empregado vai ficar com ele! "

O que acham? Pessoas mundanas podem "fazer o que é certo".

Mais tarde naquele dia, o gerente me informou que o anel foi recuperado. A senhora que a perdeu refez o caminho de volta à procura. O anel caiu da mão enquanto ela alcançava a bolsa. Ela estava devastada, chateada e assustada por tê-lo perdido, e ficou agradecida pelo fato de termos achado e devolvido.

Eu só me lembro de ter dito: "Se uma das Testemunhas de Jeová não tivesse encontrado esse anel, ela nunca mais teria recuperado." Não pensei mais que a irmã planejava vendê-la.

Ou seja, até o último domingo.

Você vê, minha tia perdeu seu anel enquanto participava de uma mostra num jardim local comigo e meu marido. Ela ficou aborrecida com a perda. Enquanto eu percorria a área, à procura dessa joia da herança, fiquei calma; eu sabia que as pessoas eram boas e alguém iria devolvê-la.

Eu tinha razão! No dia seguinte, o escritório responsável pela mostra chamou-a; alguém encontrou a joia durante a limpeza e devolveu.

Meu objetivo não é acusar todas as Testemunhas de Jeová de serem desonestas. Em vez disso, quero descartar a ideia de que é preciso ser um religioso seguidor dos padrões bíblicos para ser de boa moral e bom.



Os altos padrões de moral parecem um lugar superlotado. Um estudo de 2014 sugere que as pessoas religiosas não são mais propensas a fazer o bem que as não-religiosas... 
Os pesquisadores pediram a 1.252 adultos de diferentes contextos religiosos e políticos ... para registrar as boas e más ações que cometeram, testemunharam, aprenderam ou de que foram alvos algum dia. 

 O objetivo do estudo foi verificar como a moral se desempenha na vida cotidiana para diferentes pessoas, disse Dan Wisneski .... 

As descobertas do estudo podem ser um choque para aqueles que pensam que a afiliação religiosa ou política ajuda a determinar a compreensão de uma pessoa sobre o certo e o errado. [Eles] descobriram que pessoas religiosas e não religiosas cometem números semelhantes de atos morais. ...

É um equívoco que apenas as Testemunhas de Jeová podem manter altos padrões morais.

Refletindo sobre as duas experiências mencionadas acima, não posso deixar de perceber que o nevoeiro do doutrinamento está gradualmente desaparecendo da minha mente. Posso ver claramente que as pessoas "mundanas" são honestas, boas e possuem alto padrão moral. Não me preocupo mais em ser prejudicada ou maltratada. Estou feliz de ter encontrado um lugar para mim neste mundo.


(Esta postagem foi traduzida com a ajuda do Google Tradutor).

Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas e Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui

2 comentários:

  1. qual o maior inimigo das testemunhas de Jeová? segundo o seu corpo governante,que é guiado pela cegueira fundamentalista religiosa , é o diabo.mas a realidade nos diz que o maior inimigo das testemunhas de Jeová são as suas publicações . pois ao comparar as suas publicações de hoje com as de ontem facilmente chegamos á conclusão que a sua organização é mentirosa.o diabo é o pai da mentira

    ResponderExcluir
  2. Olá Lourisvaldo! Apesar de nada mais surpreender a gente, em se tratando das Tjs, sempre dá aquele enjoo no estômago ao relembrar coisas assim. Para preservar um pouco minha saúde emocional, tenho evitado de ler artigos assim...tenho encontrado pessoas "mundanas" maravilhosas que tem me tirado um pouco o foco do trauma de ter sido Tj. Te parabenizo por não desistir de desmascarar esses falsos profetas! Abraços Querido!!!

    ResponderExcluir